top of page

ISP assina carta contra privatização da Eletrobras e de empresas de saneamento no Brasil

Ao término do 31º Congresso Mundial da ISP, realizado nesta semana na Suíça, a federação sindical global (ISP), assinou uma carta em oposição à privatização da Eletrobras e de empresas estatais de saneamento no Brasil.

Na carta, Daniel Bertossa, Secretário-Geral da ISP, e Jocelio Drummond, Secretário Regional das Américas na ISP, ressaltam a situação urgente e emergente da privatização da CORSAN (RS), onde o governador gaúcho Eduardo Leite entregou obscuramente a empresa ao setor privado, bem como a situação da CEDAE (RJ) e de outras empresas em risco iminente de serem privatizadas, como a SABESP (SP), COPASA (MG), CEMIG (MG) e outras.


O documento também aborda a questão do sistema energético, incluindo as distribuidoras estaduais de gás e energia e a Eletrobras, enfatizando que a privatização compromete a capacidade de garantir um suprimento estável de energia elétrica a preços acessíveis.


A iniciativa seguiu a apresentação à liderança central da ISP, feita pelos representantes da FNU no Congresso, de um plano de ação para estabelecer uma organização inédita e manifestos contrários às privatizações no Brasil, com destaque para aquelas relacionadas a serviços essenciais, como água e energia elétrica.



Kommentare


bottom of page